Back to Top

Setembro Amarelo – Diga sim à Vida!

Falar é a melhor solução. Esse é o conceito da campanha do Centro de Valorização da Vida – associação nacional filantrópica que tem como premissa a Prevenção do Suicídio. A campanha “Setembro Amarelo” enfatiza que esta é uma questão de saúde pública, que deve ser abordada de forma clara. O tema é delicado. A própria palavra gera bastante incômodo, mas deve ser dita, pois o suicídio leva 32 brasileiros por dia, quase 1 milhão de pessoas por ano no mundo. Em média, 1 morte a cada 45 minutos. Esse fato pode e deve ser reduzido. O principal alvo são os jovens, entre 15 e 29 anos. E é por esse motivo que apoiamos esta causa e temos o dever de alertar nossos players.

 

Para a CVV é necessário reconhecer os sinais, ouvir profissionais e ter o devido apoio. Já que muitas vezes, quem está por perto não percebe ou trata o assunto com preconceito. É importante prestar atenção em frases como “vou deixar vocês em paz”, “vou desaparecer”, “queria dormir e nunca mais acordar”. Esses fatores aliados à falta de esperança, baixa autoestima, culpa e visão negativa da vida devem ser ditos. Ou, como o dito popular, devem ser “colocados para fora”.

 

O trabalho realizado pelo Centro de Valorização à Vida é justamente esse: a conscientização da sociedade com a informação em relação ao tema e também apoiar efetivamente para colaborar com a prevenção. O atendimento é voluntário e gratuito durante 24h, com apoio emocional a pessoas que querem e precisam conversar. Tudo sob total sigilo:

 


      

Número 188 ou entre no site www.cvv.org.br via chat, VoIP (Skype) e e-mail.

 

Há depoimentos de atendentes que mostram a real situação:

 

“Atendimentos em que a pessoa liga e fala claramente que vai se matar sempre marcam. Nesse momento a gente respira fundo e calmamente e inicia uma longa conversa sobre a vida dela, sobre como ela se sente e como tem sido lidar com a dor que ela tem”.

 

“Um atendimento marcante foi de uma pessoa idosa que morava sozinha e se sentia extremamente só. Ela ligou para ouvir um simples ‘boa noite’ de alguém, como se fosse só para se sentir viva. Depois acabou conversando um pouco”.

“A ligação que mais me marcou foi da pessoa que ligou, pegou um violão e queria mostrar as músicas que compôs”.

 

“Uma pessoa falou que estava em um hospital com uma doença em estado avançado e queria alguém para compartilhar seu momento”.

 

“A ligação que mais me marcou foi de uma pessoa que pela primeira vez fez um bolo que deu certo, mas que teria que comer sozinha porque não tinha com quem dividir”.

 

“Uma coisa muito importante que aprendi no CVV, e que trago para a minha vida, é não aconselhar. Cada um tem uma história, criação e maneira de enxergar o mundo que é muito própria. Não me sinto em condições de dar algum conselho, pois minha visão a respeito do assunto sempre será limitada. Além do mais, o que é bom para mim não necessariamente será bom para o outro. O que posso fazer é acolhê-lo, ouvi-lo, respeitá-lo, para que, ao falar e reduzir a pressão, ele mesmo se ouça e tire suas próprias conclusões”.

 

“Era madrugada e um jovem disse que estava pensando em suicidar-se, por isso ligou. Eu atendi com respeito e ouvi suas lamentações. Foi o suficiente para ele desligasse já não pensando mais em suicídio”.

 

ACONTECE IN-GAME

O assunto é realmente sério. A nossa equipe participou ativamente do Projeto em parceria com a assessora pedagógica de Língua Portuguesa da Seduc da Prefeitura de São Vicente, Renata da Silva Barbosa, – na Ação de Valorização da Vida – onde abordamos diversos temas, principalmente sobre o cyberbullying.


“A iniciativa reforça o alerta a temas importantes, ao mesmo passo em que divulga serviços de ajuda disponíveis à população como, por exemplo, o Centro de Valorização da Vida (CVV)”, reforça Renata.

 

 

Ressaltamos durante as palestras nas escolas da Prefeitura de São Vicente, um caso verídico em que a equipe de um jogo auxiliou uma garota vítima de cyberbullying. Ela diz que está viva por conta da ajuda que recebeu dos GM’s (Game Masters) in-game. “Temos uma espécie de chat no game para que as pessoas perguntem coisas sobre o game ou nos falem sobre problemas relacionados ao título. Porém, essa garota nos disse que estava tentando se matar”, disse Oliver Miao, um dos responsáveis da empresa.

 

A nossa equipe reforça com esse ocorrido que, se precisar, é só chamar! Estamos sempre à disposição.

 

Para finalizar, há muitos motivos para sorrir e apoiar o Setembro Amarelo. Repasse essa ideia!

 

Share